Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais muitas para desanimar

por t2para4, em 02.05.12

- piolhas a regredir cada vez vez: brinquedos em fila, torres de blocos, alimentação à colher (again, dada por nós), prateleiras trasnformadas em escads e mais (muitas, muitas!) cabeçadas nas paredes

- médico não responde aos meus emails ou telefonemas

- projeto "Light it up blue" na minha localidade recusado e quase fui acusada de mercenária e egoísta (pois os custos da iluminação podem ir para outras coisas bem mais úteis... As outras sugestões nem foram tidas em conta. Já reformulei e perguntei se seria aceitasse se eu arranjasse forma de alguém patrocinar)

- obrigação, por imposição do chefe e sou eu a dar a cara, de colocar toda a gente a trabalhar num projeto que era apenas um voluntariado meu.

 

Ora bem, por muito que eu tente, a tendência é go down. Fdx. Thanks a lot.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:04

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.05.2012 às 10:18

Olá, realmente esses "passos atras"  são o que mais nos deita abaixo e desespera, mas, pela minha experiência, que é bem mais curtinha, quando isso acontece com a minha filha, noto que ela a seguir dá um salto em frente, talvez a cabecinha das suas só se esteja a preparar para uma nova etapa.

A minha filha antes ficava muitas vezes alheada, com os olhos arregalados no infinito e completamente ausente do mundo (na altura fizemos um electroencefalograma para ver se seria epilepsia, mas deu negativo).
Depois deixei de ver esses episódios e ela começou a dizer as primeiras palavras, e uma dada altura deixou de falar uns 8 dias, tinha recomeçado a fazer só o som hummmm, hummmm, hummmm, depois disso voltou a falar montanhas de palavras novas, a olhar-me e procurar-me para brincar com ela.
há pouco tempo fiquei arrasada porque apanhei-a outra vez ausente, mas no dia a seguir ela viu um trator carregado de lenha e disse " mãe.....olha.....paus" fiquei super feliz!!!
Coincidências ou não o que é certo é que por vezes ela parece regredir, mas depois avança sempre mais um pouco...

beijinhos e força!
Sem imagem de perfil

De Helena a 03.05.2012 às 15:30

ups... fiquei como anónima

beijinhos
Helena (meumundoxteumundo)
Sem imagem de perfil

De Catarina a 03.05.2012 às 12:07


Olá!
Espero que a mamã do comentário anterior tenha razão... Força e espero mesmo que seja uma fase curtinha!
O meu também anda numa fase menos boa, fechado a alinhar os carros e agarrado às rotinas. A terapeuta diz que pode ser de andar um bocado entupido do nariz... não sei!
Beijinhos
Catarina
Imagem de perfil

De BECAS a 03.05.2012 às 18:07

Desejo que esta fase menos boa passe rapidamente e que tudo comece a ter melhores dias, beijinho
Imagem de perfil

De t2para4 a 08.05.2012 às 09:47

Obrigada pelos comentários e partilha, mais uma vez.
O peediatra não encara estes avanços e recuos como regressões e deu-me o exemplo de escadas: degraus- patamares-degraus-patamares pois a linha do desenvolvimento não é sempre ascendente, tem muitos altos e baixos e, por vezes, precisam de voltar atrás para consolidar conhecimentos e arranjar espaço para os novos.


Por muita calma que eu aparente ter ou possa vir a ter, claro que me assusto sempre que me deparo com um ou outro comportamento deste género pois tenho mesmo medo que seja sinal de qualquer tipo de regressão. Não me parece justo que, numa fase de evolução, onde tanto é conseguido e alcançado, de repente, haja assim um desmoronar... 
Bem, força para todos nós, que bem precisamos e que consigamos encontrar soluções - mesmo que temporárias ou provisórias - para ajudar a melhorar os dias dos nossos piolhitos.


beijos
Sem imagem de perfil

De Isabel a 18.05.2012 às 14:39

Olá mãe,
Vi agora os seus desabafos de regressão e revi de imediato a situação da minha pequena.
O comportamento dela está cada vez pior. Nela não se trata de uma regressão propriamente dita no comportamento, porque nunca deixou de fazer birras, no entanto, em vez de melhorar, está a piorar. Completou agora 3 anos, está na idade das birras, é certo, mas isto também é demais. Quando quero que ela saia do Parque ou doutro sítio qualquer para irmos para casa, a única hipótese de a trazer é agarrar nela à força, e depois dá-me umas valentes mordidelas, tenho que lhe bater naquele momento, e fico com uma miúda aos gritos porque não quer sair do Parque, eu aflita com as mordidelas e a bater-lhe ao mesmo tempo e meio mundo a olhar para mim e a pensar que espécie de educação é que eu lhe dou a pontos de fazer cenas daquelas na rua...Em casa, passa-se o mesmo para tomar banho e de modo geral acontece sempre que eu a obrigo a fazer alguma coisa.
Em relação à Terapia da Fala, de que lhe falei há um tempo atrás, a médica do Hospital tinha indicado que a Terapia da Fala só ia resultar daqui por mais algum tempo. Na Clínica privada onde andávamos a fazer diagnóstico, disseram-nos depois que também eram da opinião de que era cedo. Era preferível ter terapia de Intervenção precoce durante alguns meses e quando ela tiver o comportamento mais modelado, iniciar então a Terapia da Fala. Neste momento está a ter 1 sessão de Intervenção Precoce na Creche por parte do estado e está a ter outra sessão por semana na tal Clínica Privada. 
Consegui que ela fique mais uma ano na Creche. Fiquei contente porque acho que está muito mais apropriado ao desenvolvimento dela.
Estamos agora noutra luta para tirar fraldas. Foi fácil tirar as fraldas nas suas pequenas?
Já agora, aproveito para perguntar se tem algum feed-back daquelas dietas que consistem em retirar a caseína e o gluten da alimentação e também em relação ao método Son-Rise (ouvi dizer que o filho dos criadores do método está curado de autismo grave...).
Em relação às suas pequenas, encare como uma fase transitória e viva "um dia de cada vez". Há-de melhorar, se é que não melhorou já (face ao tempo que o seu desabafo já tem). Pense também em tudo o que de positivo já consegiu com elas.
Muita força.
Beijinhos

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens