Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Escarlatina

por t2para4, em 13.01.12

Como foi o meu dia hoje? You tell me:

 

As piolhas até acordam bem dispostas mas noto logo que uma delas está com a cara às manchas e os olhos inchados. Não bebe o leite e faz uns trejeitos estranhos como se estivesse com dores de garganta mas diz que não lhe doi. Decidi levar a irmã ao infantário e aquela piolha o médico. Choramingou a dizer que queria ir à escola... Assim foi.

Antes de ir ao médico, visto estar em jejum porque já tinha marcado para ir fazer colheita de sangue para análises, lá fui tratar disso e levei-a comigo, claro. Percebeu logo o que estava para acontecer e, lembrando-se da recolha para os testes genéticos, chorou e resmungou e chorou e chorou e chorou enquanto me tiravam sangue. Uma das rececionistas ainda sugeriu que ficasse na sala de espera mas aí juntar-se-iam o pânico de estar sem a mãe com o fugir. Esteve ao colo de uma técnica a receber mimos de imensa gente. E em 5 minutos estavamos de saída. 

Fomos ao médico e, mais uma vez, aquele senhor parecia que estava a fazer alguma videoconferência. A piolha não gosta dele (nem eu!) e, como habitualmente, mal o viu, desata numa gritaria. Ora, o senhor, como bom profissional que é faz o quê? Dá a consulta a 10 metros de distância e nem se dá ao trabalho de verificar febre, ver a garganta, fazer exame físico, tocar-lhe. Faz isto desde que lhe disse que eram autistas. Alguém deveria dizer àquele senhor que o autismo não se pega... Saí de lá com um diagnóstico mal amanhado de "alergia virosal", sem saber se se pegava, se podia ir à escola, etc. Receitou um antihistamínico e saí capaz de o matar. Fui à farmácia e pedi uma opinião. O farmacêutico recomendou seguir as indicações mas, caso houvesse febre ou os sintomas não desaparecessem, ir logo para Coimbra. Ok, dei-lhe logo uma colher do xarope e deixei-a no infantário.

 

Motivação para trabalhar? Zero. Vontade? Menos de zero. Ânimo? Números negativos. Mas lá fui, com o meu sorriso postiço número 3. Coloquei um colega de sobreaviso para o caso de ter que me substituir bem como a educadora de infância com quem iria trabalhar. E, eu sabia!!!, o telemovel tocou e a educadora das piolhas diz-me que a piolha está com febre. Indiquei que medicasse, fui buscá-la e ala para o Hospital Pediátrico de Coimbra.

Esperei cerca de 1h30, depois da triagem, onde expliquei o que se passara hoje de manhã, deixei a indicação da medicação tomada (incluindo risperidona) e a correção de que não era hiperativa mas sim desvio do espectro autista. A enfermeira tomou notas no documento de entrada, quis medir o nível de oxigénio no sangue mas a piolha gritou tanto que ia mandando a sala abaixo, decidiu que quem grita assim não tem dificuldade em respirar e mandou-nos aguardar.

Quando a pediatra chamou, a piolha dormia. Chegámos ao gabinete e recomeçou a gritaria e eu, com as minhas calmas, já habituada a estas reações, lá tentava convencê-la a deixar que se aproximassem. Com tanta gritaria acaba por vomitar (sujou-se, sujou-me, sujou o chão...) e a pediatra diz "Ela é sempre assim quando vai ao médico?", com um ar muito do género "se fosse minha filha...". E eu, já a vê-la através de um buraco preto, lá lhe respondo "sim, sabe?, ela é autista." Silêncio e uma mudança de atitude como da noite para o dia. Parou logo com a má vontade e lá colaborou comigo para lhe puder ver a garganta. E se ela se tivesse dado ao trabalho de ler a merd@ da folha que a enfermeira escreveu????

O diagnóstico, desta vez, estava correto: escarlatina. Vai tomar antibiótico durante uma semana, não poderá sair de casa durante 2 dias devido ao risco de contágio (abençoado fim de semana!) e dar paracetamol para a febre. Devo notar melhorias já a partir de amanhã.

 

Enquanto tratava da minha filha, ainda tive que reagendar o trabalho que não faria hoje, alertar o meu colega que iria faltar, avisar quem de dirieto sobre a minha ausência ao serviço, lidar com uma situação muito desagradável num dos meus locais de trabalho, decidir se mandava uma colega à merd@ por causa de uma situação que ela própria criou e da qual não teve coragem de me falar cara a cara (acabei por atribuir-lhe desprez; isso doi-lhe mais do que responder-lhe) de que se queixa agora querendo arrastar toda a gente com ela e descortinar como diabo iria eu comparecer a uma reunião com a minha entidade de trabalho. Acabei por resolver ir ao local mas sem sair do carro, visto não poder andar a "passear" com a piolha. 

Dali fui buscar a outra piolha ao infantário, já com a ida à farmácia resolvida e antibiótico dado. Mal me vi em casa, nem queria acreditar... 

A piolha já está na cama, a outra piolha vai agora a banhos e cama e eu prevejo uma noite terrível entre acordar para dar medicação e vigiar febre...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:41

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens