Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




E mais um dia em cheio...

por t2para4, em 05.07.12

A minha irmã divorciou-se hoje, oficialmente. Finalmente acabou tudo perante a lei e o diabo a sete. E a aliança também já saiu do dedo esta semana. E ela está em melhor sozinha que pessimamente acompanhada. Dr. Jekyll e Mr Hyde é na literatura, dispensamos isso na vida real.

O ex-marido levou a mãe e aceitaram ambos tudo com a maior das naturalidades. Para quem se opôs tanto ao início e andava sempre de cara cerrada armado em mau, foi muito rápido e aceite ainda mais rápido. No final, ainda lhe perguntou se agora estava tudo bem (eu acho que estaria tudo bem se eu contribuisse para aumentar a conta bancária de um dentista). E a mãe, que chorou no dia do casamento, estava a chorar no dia do divórcio, a lamentar-se que a corda partia sempre pelo lado mais fraco... O deles! Porque eram pobres e coitadinhos e pagam renda e os meus pais são ricos e têm um palacete.

 

Ora bem, ha....., isto merece ser escrutinado:

primeiro: os meus pais não são ricos senão eu não teria comprado casa, ter-me-ia sido oferecida uma. Uma vivenda e não um t2.

segundo: os meus pais não têm um palacete, têm uma vivenda igual a tantas outras que se fizeram nos anos 80, paga com um sacrífico descomunal que implicou a emigração do meu pai quando eu tinha 7 anos e a minha irmã 3.

terceiro: se os meus pais tivessem um palacete, o meu pai estaria de volta, de vez.

quarto: eles, pobres sim mas de espírito, não têm uma casa própria porque se recusaram a fazê-lo, não têm carro porque isso implica ter seguro, não têm net porque isso implica um contrato, bem, poderia continuar mas não vale a pena. Tudo o que implica dar o nome para contratualizar algo é negado por ele, não aceita fazê-lo porque isso implica um compromisso.

quinto: quem tem dinheiro aplicado, só não tem casa própria se não quiser. E não me parece que seja assim tão pobre. 

sexto: azar o deles. Trabalhem, sujeitem-se a trabalhos fora da área, esforcem-se. Eu comprei o meu T2 quando ainda estava a estudar. 

Não há pachorra para gente miudinha. Nem pobre de espírito.

 

 

Uma das piolhas teve um episódio de sei-lá-o-quê na piscina... A professora apenas mudou a entrada na piscina grande - não era a entrada habitual - e não o disse previamente. Lá veio a gritaria e o choro e o handflapping... Quando começa a esbracejar cegamente, não adiante insistir. Fui logo ter com ela, falei com ela e expliquei que estava tudo bem, abracei-a (estava mesmo a tremer e não era de frio) e disse-lhe que ficava com ela até ela entrar na piscina. E assim foi. Correu bem e a piolha lá se acalmou... Mas fica sempre a sensação pesada no peito e a vontade de fugir. Não me sinto na obrigação de me desculpar nem de dar explicações. Não ando virada para palestras sobre autismo. O resto da aula decorreu sem incidentes.

 

Pfff, vou ali e já venho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:10

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens