Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




E, se cá nevasse...

por t2para4, em 27.02.13

... fazia-se cá ski e sku e estávamos um dia ou dois sem ir às aulas ou ao trabalho, eu emborcaria dois griponais e um brufen para me aguentar das canetas e não piorar esta constipação que não me larga e iria pá neve c'as piolhas, olarila. Isso é qu'era de mestre.

Agora, ora chovisca ora faz sol ora bate leve levemente mas nem neve chega a ser, está um briole do camandro que ninguém aguenta e parece qu'anda tudo a treinar p'ra jogadores de futebol americano com os ombros encolhidos até às orelhas e neve, qu'é bom, népia.

Tá mal, pá. Tá mal.... Vivemos numa terra alta, rodeada de serra, e mais 300 menos 300 metros, pfff, qu'é isso, por isso, vá, pode nevar. Aqui não há aquecimento global, só arrefecimento generalizado, assim, tipo, horrores de frio mesmo, com tempertauras negativas às 9h da manhã.

Deem-me lá  um motivinho, um pequenino, para eu gostar só um bocadinho do inverno. Neve, pode ser? Agradecida. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:06

Ir ao dentista é... fixe!

por t2para4, em 23.02.13

Depois do fracasso que foram as idas ao dentista anteriormente (não dava para fazer nada na boca mas ambientaram-se bem ao espaço), desta vez uma nova marcação só seria feita de a situação assim o exigisse, tipo questão de vida ou morte para o dente. E sem querer ouvir falar em sedações ou coisas do género, ir ao bloco operatório e levar uma anestesia geral para arrancar um dente de leite também me parecia extremo demais...

 

Assim, mentalizei-me para um dente molar a menos na boca de uma das piolhas, comprei um My Little POny para a comprar a ela, andei três dias a massacrar-lhe os neurónios sobre como seria o nosso momento no dentista e sei lá mais o quê. 

A hora chegou: na sala de espera, tudo ok. Piolha calma e tranquila, brincalhona e divertida. No consultório, aceitou sentar-se sem fazer da cadeira um escorrega, levou a prenda - que só abriria no final - e o outro pony que já tem, ouviu bem a dentista e ainda inventou que estava assustada e com fome. Acredito que estivesse assustada mas com fome não :)

Aceitou radiografar o dente e afinal não foi preciso arrancá-lo. Vamos salvá-lo. Tem a superfície toda cariada mas como é muito grosso, o interior e raiz estão protegidos. Assim, hoje, além de se ambientar aos utensílios utilizados e sons que produzem, fez-se a limpeza de todos os tecidos moles que povoavam o dente, fez-se a escovagem e marcaram-se já as duas próximas consultas. 

Assim, conseguimos salvar aquele molar e evitar uma carga de trabalhos (nascerá um molar definitivo atrás desse molar de leite antes de ele cair. Se se arrancar agora, o molar definitivo nascerá no lugar vago e quando o pré-molar definitivo queiser nascer, terá o lugar ocupado e entortará para sair, criando um problema sério...) e ainda poderemos usar o cheque-dentista.

 

Como prémio de bom comportamento, a piolha teve permissão de abrir o seu presente e delirar e ainda ganhou dois autocolantes da Hello Kitty dados pela dentista!

 

 

 

Gostei muito da abordagem desta dentista - que trabalha na mesma clínica onde costumo ir mas é especialista no tratamento dos dentes em crianças -, do à-vontade dela com os imprevistos da piolha e da decoração do espaço. Tinha imensos desenhos e fotos de meninos e meninas penduradas numa corda da roupa, imagens da Barbie dentista com a Shelly - que emprestou à piolha e mostrou que a cadeira também fazia barulhos iguais -, falou abertamente do que iria usar com a piolha usando nomes práticos - massa = plasticina especial, por exemplo. Associado à maturidade da piolha e à chantagem que lhe fiz (se é bonito ou não, I don't care! Funciona e isso é o que interessa), à necessidade que ela já reconhece do ter que tratar dos dentes e à forma como foi tratada pela dentista, eu estou tão surpreendida quanto aliviada quanto orgulhosa. Well done, baby girl!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:03

"Joaninha voa voa..."

por t2para4, em 22.02.13

Palavras para quê?

 

 

 

Só ajudei na definição dos olhos e da boca e insisti muito na pintura sem sair do risco e em preencher melhor enqquanto pintava. Tudo o resto foi feito por ela e encheu-me de alegria e orgulho porque ela só quer fazer meninas e princesas e meninas e princesas e a mãe a mana e princesas e meninas. É raro fazer desenhos sem figuras humanas. Tive uma agradável surpresa :) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:36

Tagarelice #13

por t2para4, em 19.02.13

Uma das piolhas, a mais vaidosona, andava com as saias dos fatos de carnaval na cinta e na cabeça, como se fosse um véu (já agora, as asas, bandolete e varinhas já foram para o lixo, dado o uso que aquilo teve...). Andava toda feliz e contente com aquilo, a fazer umas belas figurinhas...

A certa altura, vai ter com o pai, olha para ele toda melosa e diz:

"Oh, pai, casa comigo!"

 

O pai diz-lhe que não pode porque já é casado. Ela vem, então, ter comigo, com a mesma conversa e eu dou-lhe a mesma resposta, que o pai já é casado com a mãe e que a mãe é a mulher do pai, que ela é filha e os filhos não podem namorar com os pais porque isso não é natural, não é assim que as coisas funcionam. Fica confusa :) e volta à carga:

 

"Oh, pai, vá lá, casa comigo..." 

 

No dia seguinte, antes de ir para a escola, já dizia que ia estar com o namorado, o coleguinha H., mas que queria era mesmo casar com o pai. Complexo de Electra no seu melhor (mas em a parte do querer eliminar a mãe)

 

Fico muito satisfeita por assistir a estas etapas do desenvolvimento infantil. Não estão a surgir na idade correta (que deveria ser por volta dos 3 anos) mas estão a surgir... Entretanto, não voltou mais a usar as saias como vestidos de noiva nem em querer casar com o pai...

Já a outra piolha anda numa de choramingar de cada vez que a deixo no infantário, como se estivesse a frequentar creche pela primeira vez e esta fosse a primeira vez que nos separamos....

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00

Tagarelice #12

por t2para4, em 18.02.13

Não resisto a partilhar.

 

Esta manhã, uma das piolhas vem ter comigo á cozinha enquanto preparo o meu café (já não passo sem café de manhã...), abraça-me, dou um colinho e diz ela, em voz muito embargada e ensonada (atenção, que ela acordou por si, sem ajudas):

 

"Hoje ficamos em casa?"

"Não, filhota. Vamos para a escolinha."

"Ah, não... Estou doente, não posso ir, olha... ", diz ela, e começa a tossir "cough, cough, cough... Vês, tenho tosse."

"Oh filhota, não há problema. Vamos ao médico ver se precisas de levar uma pica para ficar boa"

"Não é preciso, mãe. Estu muito melhor! Não tem medo de ir para a escola nada!"

 

Espertinha, hein? Não tarda está a meter termómetros no aquecedor e a dizer que está a arder em febre...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:22

O "TPC"

por t2para4, em 15.02.13

E TPC porquê? Porque uma das piolhas não quis trabalhar na escola. E, de propósito, com uma dose enorme de teimosia em cima e de sono a acompanhar, decidiu fazer tudo a despachar e pintar como se fosse a primeira vez que pegasse num lápis. 

Falei calmamente com ela e disse-lhe que, chegadas a casa, iríamos as duas trabalhar na cozinha (estamos a tratar de arranjar maniera de mudar o quarto delas para os estudos quando entrarem na escola primária) enquanto a mana ia brincar, já que ela tinha feito tudo direitinho. Entendeu e concordou.

Reproduzi o que era suposto ter sido feito na escola e começámos. A primeira coisa foi ela dizer-me o que era ser amigo de alguém, ao que respondeu que era ajudar ou dar um abraço. Escolheu fazer o desenho do abraço. Começou por querer fazer tudo a despachar, muito mal proporcionado e sem jeito nenhum. Apaguei tudo e disse-lhe para recomeçar. Fizemos isto até ela perceber que não ganhava nada com as pressas, bem pelo contrário.

Fez o desenho na boa, escolheu as figuras que quis desenhar e eu só ajudei com o pormenor de só se ver uma maõ no abraço (porque a outra ficava escondida nas costas).

Hora de pintar: de cada vez que saía do risco, eu pagava e ela recomeçava. Quando abusava de propósito, eu avisava - e só precisei de o fazer uma única vez - que lhe rasgaria o trabalho e faria tudo de novo. Correu muito bem. Ainda miou a dizer que estava cansada mas nem liguei. Disse-lhe que há um tempo para trabalhar, outro para brincar e outro para descansar e que ela deveria ter feito aquele trabalhinho na escola. 

Fez tudo certinho, escreveu sozinha "dar um abraço" enquanto eu lhe ditava as letras e assinou. Ficou orgulhosa do resultado final e quei levá-lo para a escola. 

 

Eu sei que ela é capaz e que não estou a ser demasiado exigente nem dura. Eu sei que ela entende quando não age bem em relação à hora de trabalhar porque ela própria já o diz e admite. E sei que ela saberá ultrapassar essas fases por isso faço estas coisas com ela - ou com a irmã. 

E a prova é ficarem orgulhosas do seu próprio trabalho e verem que o esforço valeu a pena.

 

 

 

Além disso, teve direito à mãe só para ela durante quse uma hora :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:13

Bem... Trata-se de estudo americano (o que pode sugerir muita coisa), eu tomei caixas disso durante a gravidez mas nunca tomei nada antes... Aliás, só descobri que estava grávida quando já estava de 6 semanas, quase 7, e comecei logo a tomar medicamentos - leia-se antibiótico - porque fiquei de cama com uma gripalhada valente... 

Anyway, é mais uma notícia que pode ter algum impacto - ou não - no mundo do autismo as we know it. Se vier a auxiliar a diminuir as hipóteses de uma criança vir a sofrer dessa patologia, tanto melhor.

 

Um estudo feito pela Universidade da Califórnia (EUA) concluiu que consumir suplementos alimentares de ácido fólico durante a gravidez reduz as probabilidades de o bebé nascer com autismo. Os resultados foram publicados no The Journal of The American Association (JAMA) e fornecem evidências que reforçam a importância do suplemento dessa vitamina durante a gestação.

Os cientistas basearam-se nos dados de 85.176 bebés inscritos no Estudo de Corte de Mães e Crianças Norueguesas, o maior trabalho já feito sobre a influência de factores genéticos e ambientais na incidência de doenças neurológicas. Os pais dessas crianças também participaram da pesquisa. A equipa acompanhou as crianças entre três e dez anos após o seu nascimento e observou que 270 delas apresentaram algum transtorno do espectro autista.

Os resultados mostram que mães que fizeram uso de suplementos de ácido fólico antes e durante a gestação tiveram filhos com um risco até 40% menor de serem diagnosticados com autismo na infância. De acordo com os autores, o período de consumo da vitamina também é determinante na hora de prevenir doenças no bebé - na pesquisa, apenas mulheres que tomaram os suplementos desde as quatro semanas antes de engravidar até oito semanas após o início da gestação apresentaram redução no risco.

Durante a gravidez, a mulher deve adoptar e mudar uma série de hábitos, principalmente alimentares. Afinal, o crescimento e o desenvolvimento do feto dependem exclusivamente da nutrição materna. Segundo a nutricionista Amanda Epifânio, do Citen, a necessidade de consumir diversas vitaminas e minerais é ainda maior durante a gestação e as deficiências nutricionais podem provocar desde um peso abaixo do ideal no recém-nascido até uma má formação fetal. «Algumas grávidas, inclusive, requerem atenção especial e suplementação além da alimentação», conta.

 

in http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=615874 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:13

Let's talk about love

por t2para4, em 14.02.13

No dia dos namorados em 2006,o marido ofereceu-me este relógio que foi a minha companhia durante quase todo o tempo e cronómetro de gravidez. 

 

 

 

Quando foi preciso mudar-lhe a pilha, a burra da senhora estragou-mo... Fiquei desolada. Gostava mesmo daquele relógio. Nunca fui capaz de o deitar fora - mesmo sabendo que ele não tem arranjo - e, por isso mesmo, ainda hoje o tenho guardado.

 

No entanto, 6 anos depois, no dia dos namorados e com o aval das piolhas, o marido ofereceu-me este, para compensar a perda do outro:

 

 

 

Estou rendida... 

 

E, para dar-lhe com o lamechas mais um bocado, aqui vem a nossa banda sonora (não, não são as piolhas aos gritos ou a fazer disparates; é mesmo uma música toda melosa). Amo-te muito. Sabes que sim.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:40

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens