Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Vocês nem sabem nem sonham....

por t2para4, em 30.03.13

... que os gritos comandam a vida. Pelo menos a das piolhas. Hoje.

Pfffff, estou física, psicológica, mental e emocionalmente estoirada de todo...

 

Teoricamente iríamos a um local de suposta paz, retiro, calma e energias positivas. Fomos a Fátima e a viagem até correu muito bem. A chegada foi plenamente anunciada com a ajuda de uns bons pulmões e respetiva cavidade bocal. Apeteceu-me logo dar-lhe um estalo ali, local santo ou não. Primeiro não queria fazer chichi, depois já queria. Ok. Passam a vida a fazer-se às fotografias. Hoje até para tirar fotografias foi preciso imitar sirenes. Ok, fotografias out. Deep breath.

 

"Chiu, estamos num local de silêncio. Não podemos fazer barulho, olha ali o sinal...". Certo.... Guess what? Isso mesmo. Silêncio mas pouco. O resto é pr'ós cães, de certeza.

Mas, pronto, correu bem a ida à Basílica e visita aos túmulos dos pastorinhos e gostaram de acender as velas.

Mas - novo mas - birra até ao carro porque não queriam ir à casa de banho. Really? Hummpfff.

 

Hora de almoço. Estou farta de rotinas, a sério. Estou farta de mentirinhas piedosas para evitar birras. Estou cansada de ir a Coimbra e sair da zona de restauração e ter que ir à Fnac e ver os relógios e ver não sei o quê no parque da H&M e descer para a Primark e ir ao Continente e seguir esta ordem e tê-las sempre mas SEMPRE a miar! Para quê tanto mio?!!!!??

 

Ok, breath in breath out. Viagem até casa da avó. Estava com uma neura que já nem podia ver ninguém à minha frente. Deixei as piolhas a brincar na rua, o pai entretido a montar uma máquina, a avó e a tia a tomar conta da malta toda. Vim às compras de coisas que faltavam em casa. Ajudou a desanuviar. Até termos ido visitar os outros avós... Raio do homem que só tem ideias de treta. Tem o chão completamente inundado por causa do excesso de chuva - lençóis de água completamente cheios -, as piolhas sem nenhuma noção de perigo - apenas fascínio pela água - e o homem lembra-se de ir desentupir uma caleira em cima de uma escada de madeira, que vergava para todo lado. A sério, eu sei, eu mereço. 

As piolhas não se safaram de um estalo por serem teimosamente teimosas e insistirem em aproximarem-se do local de onde poderiam cair para a água - ainda para mais, uma delas é uma trambolha do caraças e até vergou os joelhos, juro que pensi que ia cair, até gelei; o avô e o pai não se safaram de ser chamados de doidos por se empoleirarem numa escada feita na época dos Descobrimentos e usada na viagem até à Índia; eu não me safei de um ataque de nervos. No final, acabei com remorsos, claro, mas, a verdade é que as piolhas acalmaram. Viemos até casa dos meus pais buscar uma escada em condições (uma articulada que cabe na bagageira do carro na boa) e lá resolvemos o problema.

Sou mesmo estúpida... Uma pessoa que me acusou de ser a culpada direta do autismo das minhas filhas e eu ainda me preocupo se o homem cai ou não de uma escada abaixo... Shame on me, really. 

 

Anyway, hoje não senti paz, só nervos constantes; hoje revi imensas coisas que pensei terem passado; hoje acabei cansada; hoje fartei-me de frustrações e de rotinas inquebráveis e de gritos constantes e de abanar de mãos. E logo em vésperas de consulta de autismo e de avaliações. Parece que fazem de propósito. Esta fase tão boa que temos vivido nos últimos tempos não pode durar mais um bocadinho??? A sério???

Agora, se me dão licença, vou eu ali ter um meltdown num instante e já volto. Assim uma coisa à Donald Duck. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:17

Por aqui continuamos com os preparativos para levar a cabo as iniciativas a que nos propusemos. Não tem sido fácil ter imaginação para tudo e não sucumbir à preguiça mas nada que um café fora com as piolhas (leia-se que elas tomam descafeinado diluído com água) ou um doce desportivo (como dizem os outros tolinhos que andam sempre aos pinotes) não ajude a resolver.

 

Depois desta faixa e deste pequeno texto adaptado, disponível em http://www.inr.pt/content/1/222/que-autismo :

 

 

 

que será o mote introdutório da exposição de trabalhos - já vou tendo alguns mas podem ainda enviar! -, da pintura da faixa de tecido que ficará na rede do campo de futebol da escola, da preparação das luzes e da criação da história das "Ervilhas Especiais", faltava ainda uma apresentação dinâmica e interativa que eu pudesse utilizar nas escolas/bibliotecas/etc. e que explicasse - sem ser uma grande seca - e de forma simples mas verdadeira o que é o autismo.

 

Surgiu isto:

 

Quando aparece a indicação "fim", é o final da história - que requer interação por parte da audiência - mas não o final da apresentação. Para começar, basta um clique do rato. O video pode demorar um pouco a carregar mas vale a pena vê-lo.

 

NOTA: Esta apresentação pode demorar alguns segundos a carregar.

Por favor aguarde...

 

 

 

E pronto, para já, é isto...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:19

A façanha repetiu-se: o conteúdo de um frasco de vasenol creme da avó na cabeça, numa, talvez, digo eu com os nervos, de hidratar o cabelo. Bem, o resultado não foi o idealizado pois parecem lambidas por uma vaca e lá vou eu ter que recorrer ao sabão azul. De novo. 

Além do cabelo, a pele delas parece manteiga ao sol e até as mãos estão mais sedosas. Só espero que, nas roupas, este truque de beleza feminia forçada saia com o detergente.

Já nem me atrevi a levá-las comigo à rua: viemos diretas da casa da avó para nossa casa e, só agora, vão para o banho (tive que esperar que fizessem a digestão, pois já sei que este vai ser um banho looongo).

 

Em PECs, ficaria algo do género:

 

 

 

Há tratamento profilático para AVC? Se sim, por favor, inscrevam-me.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:23

Um brinquedo diferente

por t2para4, em 25.03.13

A R. tem um talento incrível. Estou simplesmente apaixonada pelos seus desenhos - muitos deles figurarão na exposição que estou a organizar no âmbito da consciencialização do autismo, em abril. A R., além de autismo clássico, tem deficiência mental e epilepsia. Mas também tem imensa imaginação e faz desenhos incríveis.

Na minha recolha de desenhos e conversas com a mãe da R., houve um que se destacou pela imaginação e pela beleza que ela conseguiu colocar no papel. Na esperança que lhe possa trazer algum estímulo diferente mas agradável e alguma alegria, meti mãos à obra e reinventei a imaginação da R.

 

E este foi o resultado final. Só espero que ela goste. Não sei se é possível, mas tentei "imprimir" o máximo de carinho e alegria nas linhas e recortes. 

 

 

 

Tentei ser o mais fiel possível ao desenho. Acho que nem ficou muito mal. Eu gosto e as piolhas também :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:09

Tagarelice #15

por t2para4, em 24.03.13

As suas piolhas brincam com as suas barbies, vestidas com restos de feltro e tecidos das minhas invenções, no chão da sala.

 

Barbie 1 - onde vais?

Barbie 2 - não tenho dinheiro. O Pedro Passos Coelho roubou-me tudo.

Barbie 1 - Não tens nada nos bolsos?

Barbie 2 - Não, estou sem dinheiro. Tá tudo roubado.

 

Esta é uma novidade: (além de ter a Barbie em crise) até aqui a referência ao nosso goverante PM era quando viam alguma notícia ou viam uma imagem dele ou liam o nome dela; agora está presente nas suas brincadeiras... Deverei ficar preocupada? De facto sinto-me algo roubada mas, quem com pouco sempre viveu, facilmente se habitua a outras circunstâncias, mas ver este reflexo do país em brincadeiras de crianças, parece-me assustador. Acho que as notícias deveriam começar a ter bolinha vermelha no canto superior direito. E eu vou mesmo mesmo mesmo deixar de ter a tv ligada à hora das notícias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:30

O momento ahhhh das piolhas #4

por t2para4, em 23.03.13

É levantarem-se sem que as acordem, abrir o estoro do seu quarto e virem enfiar-se na minha cama para me acordarem a dizer que está um dia lindo. 

Qual é o momento ahhhh aqui? O abrir o estoro para deixar que o sol ilumine o quarto, de forma espontânea. O dizer "está um lindo dia" é ecolália - dizem sempre isso mesmo que esteja a chover picaretas lá fora -, embora, ecolália funcional.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:01

Nem tudo são boas notícias. A fase boa mantém-se, a tranquilidade e calma dos finais de dia também. Às vezes, não fosse a linguagem, até duvidaria de uma PEA... No entanto, os sinais estão lá, bem à vista dos meus olhos para não nos esquecermos que,  mesmo que se dilua com o trabalho, a maturidade e o crescimento, haverá sempre um ou outro comportamento mais estranho ou mesmo bizarro, característico desta patologia.

 

A maturidade que os seus quase 6 anos lhes permitem ter, nesta fase, já ajudam a suportar  o imediato dos acontecimentos. Um exemplo concreto: ontem foi a comemoração do dia da árvore. Por estes lados, estava imenso vento mas um dia de sol muito bonito e agradável. Juntaram-se imensos meninos de um ATL com o jardim de infância das piolhas e deve ter rondado, à vontade, uma boa centena de crianças de várias idades. À tarde, aproveitando o bom tempo, todos no campo a correr, dançar e brincar, com uma música tão alta quanto música de arraial. As piolhas estiveram lá e integraram-se mas, ao contrário das outras crianças, absorveram toda aquela informação sem gestão ou regras: os sons, as imagens e o movimento, o brilho imenso do sol, os cheiros. A certa altura, uma isolou-se e desatou a chorar. Depois ficou bem. A outra fê-lo mais tarde.

 

Este isolamento e choro foi a sua forma de gerir aquele excesso de informação. Não houve uma birra propriamente dita, não houve um episódio violento, apenas um choro descontrolado e sem razão aparente. Foi o seu momento de auto-regulação. E, para isto,  não há medicação nem terapias nem milagres. Há apenas muito carinho, muita paciência e muita compreensão, pois aquele mau momento passará e ela ficará melhor.

 

A ansiedade está diretamente ligada a algumas estereotipias menos graves e que se podem controlar. Uma das piolhas voltou à fase do enrolar o cabelo e a outra range os dentes quando dorme. Mas passa. Amanhã ou depois, já sei que não estarão assim. Não faço nada, exceto avisar para não enrolar o cabelo pois, quanto ao bruxismo, nada posso fazer.

Quando ficam doentes, a piolha que enrola o cabelo fica com uma das mãos completamente descontrolada - hei de referir isso na próxima consulta - e isso incomoda-a pois é involuntário e ela própria não consegue controlar e pede-nos ajuda. Não sei qual a relação. Nessas alturas, tentamos desviar o foco de atenção ou ocupar-lhe aquela mão com um brinquedo ou dar-lhe colo e segurá-la.

 

E, como já vem sendo hábito, de há uns anos a esta parte, é mesmo um dia de cada vez... 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26

Freshly squeezed: aqui está a história de que falei em posts anteriores para abordar com quem me quiser ouvir na escola. Trata-se de um texto muito simples,  muito breve que fala, de forma muito generalista, de como são os comportamentos das piolhas - metamorfoseadas em ervilhas - e de como ser diferente é normal porque somos todos diferentes mas temos direitos, deveres e até gostos iguais.

 

Partilho, então, a história que pode servir de ponto de partida para  uma abordagem  mais alargada ou complexa sobre a temática do autismo.

 

 

NOTA: Clique no icon FullScreen (canto inferior direito) para ler melhor



 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.

Pág. 1/4



Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens