Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Nem tudo são boas notícias. A fase boa mantém-se, a tranquilidade e calma dos finais de dia também. Às vezes, não fosse a linguagem, até duvidaria de uma PEA... No entanto, os sinais estão lá, bem à vista dos meus olhos para não nos esquecermos que,  mesmo que se dilua com o trabalho, a maturidade e o crescimento, haverá sempre um ou outro comportamento mais estranho ou mesmo bizarro, característico desta patologia.

 

A maturidade que os seus quase 6 anos lhes permitem ter, nesta fase, já ajudam a suportar  o imediato dos acontecimentos. Um exemplo concreto: ontem foi a comemoração do dia da árvore. Por estes lados, estava imenso vento mas um dia de sol muito bonito e agradável. Juntaram-se imensos meninos de um ATL com o jardim de infância das piolhas e deve ter rondado, à vontade, uma boa centena de crianças de várias idades. À tarde, aproveitando o bom tempo, todos no campo a correr, dançar e brincar, com uma música tão alta quanto música de arraial. As piolhas estiveram lá e integraram-se mas, ao contrário das outras crianças, absorveram toda aquela informação sem gestão ou regras: os sons, as imagens e o movimento, o brilho imenso do sol, os cheiros. A certa altura, uma isolou-se e desatou a chorar. Depois ficou bem. A outra fê-lo mais tarde.

 

Este isolamento e choro foi a sua forma de gerir aquele excesso de informação. Não houve uma birra propriamente dita, não houve um episódio violento, apenas um choro descontrolado e sem razão aparente. Foi o seu momento de auto-regulação. E, para isto,  não há medicação nem terapias nem milagres. Há apenas muito carinho, muita paciência e muita compreensão, pois aquele mau momento passará e ela ficará melhor.

 

A ansiedade está diretamente ligada a algumas estereotipias menos graves e que se podem controlar. Uma das piolhas voltou à fase do enrolar o cabelo e a outra range os dentes quando dorme. Mas passa. Amanhã ou depois, já sei que não estarão assim. Não faço nada, exceto avisar para não enrolar o cabelo pois, quanto ao bruxismo, nada posso fazer.

Quando ficam doentes, a piolha que enrola o cabelo fica com uma das mãos completamente descontrolada - hei de referir isso na próxima consulta - e isso incomoda-a pois é involuntário e ela própria não consegue controlar e pede-nos ajuda. Não sei qual a relação. Nessas alturas, tentamos desviar o foco de atenção ou ocupar-lhe aquela mão com um brinquedo ou dar-lhe colo e segurá-la.

 

E, como já vem sendo hábito, de há uns anos a esta parte, é mesmo um dia de cada vez... 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens