Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Está para breve... - Soon...

por t2para4, em 20.10.11

... a colocação de um docente de ensino especial no PIIP a operar na nossa localidade e que acabaraá por trabalhar no Jardim de Infância frequentado pelas piolhas. 

Depois deste vergonhoso erro/falha/lapso etc e tal concursal (não consigo compreender como se manda alguém embora para deixar em aberto vagas necessárias de ocupar, embora, nesta fase, já nada me deveria surpreender...), lá fui tentando  manter-me ao corrente do processo de colocação de professores para o PIIP e saber o que poderia eu fazer como mãe, encarregada de educação e/ou até mesmo profissional. Juro que me passaram as mais variadas opções pela cabeça, até a de, pedindo ajuda aos meus pais, ingressar numa pós-graduação em Ensino Especial e colmatar as ausências de apoio e as falhas de pessoal em casa! (A ideia não está totalmente posta de parte - eu é que sinto que o meu Tico & Teco andam de costas voltadas a fazer maus contactos neuronais :P estudar de novo iria requerer um cérebro funcional da minha parte eh eh eh)

 

Bom, anyway, soube que deveria aguardar mais um pouco porque já houve contactos com os docentes que já cá estavam e que está tudo encaminhado para começar assim que seja possível. 

 

Há minutos, recebi um telefonema da Unidade de Cuidados do nosso Centro de Saúde - com estreita ligação às escolas - que me informou que, apesar da colocação de professores para o PIIP estar para breve, ainda teremos que esperar mais um pouco. Perguntou-me se eu tinha alguma questão a colocar ou dúvida a esclarecer. Respondi o que já desabafei aqui acerca da evolução em determinados parametros e retrocesso noutros - nomeadamente a alimentação. Como ainda estamos no início das atividades letivas e há meninos novos no grupo de alunos das piolhas, ainda estamos em fase de adaptação - daí eu ainda não ter recomeçado o meu voluntariado no ensino de Inglês no Jardim de Infância - e, não tenho notado nada que me preocupe nesse aspeto. 

As refeições é que têm sido autênticas guerras de força entre educadora + auxiliares vs piolhas... Há pequenas batalhas ganhas mas guerras perdidas...

Se comem a sopa primeiro, já não aceitam mais nada e, para termos a certeza de que ficam bem alimentadas, é quase preciso voltar atrás no tempo e adicionar carne/peixe/pão/etc. para compensar a falta do 2º prato. Se  comem primeiro o prato, acham que estão bem com 2 ou 3 garfadas de comida e nem aceitam fruta. Se comem fruta, tem de ser passada/triturada e, muitas vezes, cozida para não oxidar ou azedar (não posso triturar maçã ou pêra crua às 7h30 da manhã para apenas comerem às 9h) e não aceitam comer pão ou bolinhos ou bolachas como lanche da manhã. Mas têm fome se bebem apenas o leite. Não posso forçá-las a mais mal acordem porque não conseguem comer mais do que um pacotinho de leite (e eu igual, por isso, nem pensar em forçar) mas não compensam com um pão 1h ou 2h mais tarde... 

 

E esta ainda é só a parte da relação com a comida e a refeição em si... Nem vou falar do comportamento ou das birrinhas e dos choros e dos vómitos que se seguem por causa do choro e dos meus nervos a estalar... Vou aguardar e tentar que se descubra algo que as faça voltar aos comportamentos anteriores.

 

A enfermeira que me ligou anotou tudo e ficou de transmitir as preocupações à equipa. E ligarão novamente mais tarde. Até lá, é aguardar.

 

 

--------------------------------

... we will have an Early Intervention (special education) teacher in our town and that will also work  at the Kindergarden my little girls attend.
After this shameful error/fail/mistake/and so on the deployment of teachers (I just can't understand how someone is sent away to open job vacancies needed to be filled, though, on this stage, nothing should be surprising...), I tried to keep up with the deployment of teachers process for the Early Intervention Program and know what I could do as a mother, a parent and/or a professional. I swear the most various options crossed m y mind, including, asking for my parents' help and go to a graduate in Special Education to overcome the flaws and lack of support and staff and do it at home! (the idea is not totally abandoned - I just feel my Chip & Dale are not getting along and they do really bad brain damage :P studying again would require a fonctional brain from me eh eh eh)
Well, anyway, I was told I should hold on a bit more because contacts were made with the teachers who used to work here before and everything is on its way so they can start as soon as possible.
A few minutes ago, I got a call from the Care Unit of our Medical Center - very close to schools - and I was informed that, despite the deployment of teachers for the Early Intervention Program is to be soon arranged, we still have to wait a bit more. She asked me if I had any question or doubt. I answered what I unburdened here about tmy little girls' evolution in some parameters and regression in others - specially on the food area. As we are still at the begining of school activities and there are new children in my little girls' kindergarden group, we are in adaptation phase - that's why I haven't started my volunteer work teaching English there - and, I haven't noticed anything worrying at that point.
Meals are true strength wars between teacher + assistants vs little girls...There are small won battles but lost wars...
If they eat soup first, they won't take anything else and, to be sure they are properly fed, we almost have to turn back time and add fish/meat/bread/etc. to compensate the lack of the main plate. If they eat the main plate first, they think they are good with only two or three bites and don't even accept fruit. If they eat fruit, it has to be mashed and sometimes, cooked so it won't oxidate or sour (I can't mash apple or pear at 7h30 am to be ate at 9h) and they accpet bread or cake or cookies as a morning snack. But if they are hungry they just drink milk. I can't force them to more as soon as they wake up because they just can't have more than a little carton of milk (the same with me, so, no forcing) but they do not compensate with bread or soon 1 or 2h later...
And this is only the relationship with the food and the meal itself... I won't even talk about their behaviour or the tantrums and the crying and the vomiting following the crying and my cracking nerves... I will wait and try to find out something that make them go back to their previous behaviour.
The nurse who called me wrote everything down and said she would pass it on to the team. And they will call again later. Until then, we must wait.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:31

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Lina a 20.10.2011 às 23:23


Fico contente por veres essa situação a ser resolvida. Por cá, atribuiram-lhe uma educadora de ensino especial duas vezes por semana, à segunda e sexta. Quanto às terapias não lhe foi atribuida nenhuma, a terapia ocupacional teve de ficar para trás e já começaram com a terapia da fala a nível particular. Segundo a terapeuta a questão acenta mais na expressão e não na compreensão. Vamos fazer um batalhão de coisas, nomeadamente consulta de oftalmologia, otorrino e umas avaliações para ver até onde será necessário ir. Inicialmete faremos o teste de Growing skills e posteriormente um teste de avaliação do desenvolvimento psico-motor. Enfim, começa a ser tanta coisa, tanto papel a preencher, tanta actividade (começaram na ginástica e no futebol), tanto teste que a minha cabeça já não dá para tudo...
Boa sorte e que a educadora seja colocada rápidamente.
beijinho
Imagem de perfil

De t2para4 a 23.10.2011 às 12:01

É uma luta constante e sem intervalos, não é? Ufff... Fico feliz que parte das tuas preocupações já esteja a caminho de resolução: a educadora do ensino especial e a terapia da fala (ainda que no privado...). Não dá para alternar terapia ocupacional com terapia da fala? 
O trabalho da terapia da fala que tem vindo a ser feito até ao momento tem passado muito pela expressão também, entre outras coisas. Agora vamos começar com exercícios multifuncionais (articulação, expressão, compreensão, etc. Parecem quase aulas de iniciação a uma língua :) )


Acredito que nesta fase a confusão e a burocracia seja mais que muita mas vai ter que compensar e tens de acreditar nisso. Passamos a ser pais-agenda e motoristas particulares dos nossos filhos mas vai valer a pena. Uma coisa que faço sempre que tenho que lidar com imensa papelada é organizá-la por separadores e micas e tiro sempre fotoócopias do que entrego para, se for necessário, seguir os mesmos passos (como me aconteceu nesta coisa da terapia da fala comparticipada pela Seg Social).


Sei como te sentes e só posso deixar o meu apoio. Muita força e muita coragem!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens