Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Consulta de autismo em fase count-down. Fico sempre assim, nem sei se assustada se receosa se enervada com e sem macaquinhos no sotão. 

Desta vez, a bem dizer, nem sei bem ao que vamos. Faremos nova avaliação? Qual? Griffiths? Adoos? Vineland? 

A 1ª coisa que vou evitar, para começar, é a medição da tensão arterial. Em 4 anos, custa-me a acreditar que aquela enfermeira (e é sempre a mesma) ainda não tenha aprendido que aquelas miúdas gritam descomunalmente quando veem o raio do aparelho, mesmo que esteja mascarado de poneis. Obviamente, que sendo isto na fase da triagem, a fase da consulta já não é bem o que deveria ser...

 

Anyway, desta vez, tenho que referir duas coisas de que me falaram em reunião de equipa (terapeuta, professora, professor de educação especial e eu):

- avaliação de terapia ocupacional (tem a ver com a motricidade fina/muito fina, escrita, capacidade de ver/olhar e escrever, etc.). Ok, apesar de me parecer que, ao invés do que me dizem - que tudo vai melhorar, que elas encontrarão estratégias para ultrapassar as dificuldades e diferenças, bá blá blá mi mi mi -, ao precisarem agora de terapia ocupacional, parece que há sempre um problema qualquer, não importa se avançámos ou progredimos muito ou pouco.

- corte do freio. E ao dizer "freio" lembro-me sempre de carros e metros e autocarros. E, na realidade, fala-se do freio da língua. As piolhas, tal como pai, têm a língua e-xa-ta-men-te igual: com o freio curto mas sem problemas com os dents e levnatá-la até ao palato e arredondada na ponta, como se fosse um coração. O único problema do pai é a pronúncia correta do som "lh" que sai bem camuflado nas palavras e nem se nota esta dificuldade. Ora, uma das piolhas tem evoluído muito bem nos exercícios oro-motores, a outra nem por isso, quase nada. E, se a ideia já tinha surgido antes por parte do terapeuta, voltou à carga agora.

Ora bem, quanto a isto, bem, não. Não concordo, não me parece, não aceito, não autorizo. Só de pensar no sofrimento e na recuperação lenta e dolorosa da minha princesinha até tremo. Ia passar de franga a pau de virar tripas num ápice. E iríamos regressar ao treino de dar de comer, ensinar a gostar de alimentos, treinar os sabores, os maxilares, etc etc etc. Só de pensar nisto, até me dá um fanico.

 

Portanto, eis o que espera ao pediatra amanhã... Além do habitual e da referência a medicação e sonos e sei lá mais o quê.

 

E, com a aproximação de abril, começo seriamente a pensar de terei feito bem em andar feita doida em divulgações e em consciencializações e em sensibilizações. Na realidade, agora, assim de repente, fugir para o meio da serra ou da praia (deserta, muito deserta) e gritar desalmadamente, fazer tudo o que é disparate, parece-me maravilhosamente saudável. 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:32

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Ana Ferreiro a 30.03.2014 às 20:56

Estamos as duas em modo count-down. O Gui tem a consulta precisamente no dia 2 de Abril ( lá se vão metade das comemorações). Dizia a Joana Almeida que iam tentar avaliar já que a última avaliação  foi feita antes dos 6 anos e agora vão tentar antes dos 9 (!) anos. O check up da enfermeira é bem tolerado desde que não lhe tentem ver o nariz. Tudo o resto aceita bem!
São sempre um stress estes dias que antecedem as consultas e o próprio dia. Eu já tenho 6 anos disto e vai ficando melhor... mas é sempre uma ansiedade de comer as unhitas!!
beijocas e força!!
Imagem de perfil

De t2para4 a 30.03.2014 às 22:17

Eu acho sempre que as consultas são demasiado espaçadas mas depois também vejo: vamos lá fazer o quê mensalmente ou trimestralmente? Mas são consultas que, pelo seu quê de importância e de papelada e de sei lá mais o quê, são importantes. E eu nem sei bem o que nos espera e se há ou não avaliações, como é que elas vão estar nesse dia...
Nós vamos lá no início da semana... Não nos encontraremos. Anseio pelo final da consulta que é quando vamos espairecer e afastar os medos. 
Enfim... Eu sei - e o marido passa a vida a relembrar-me - que há casos e situações bem piores mas eu ainda não ultrapassei essa fase.
Depois diz como correu a vossa consulta.
Sem imagem de perfil

De Ana Ferreiro a 31.03.2014 às 08:33

Andámos até Outubro a ter consultas de 2 em 2 meses por causa da medicação!!! Talvez por isso tenha ficado um pouco mais fácil, não sei... Agora já não vamos desde Outubro devido à melhoria substancial do comportamento!! Deu o "click" ao Gui como disse a Joana!!
Claro que digo mas também quero as novidades das tuas!! ;)
beijocas e boa consulta!!!
Sem imagem de perfil

De Betty a 30.03.2014 às 23:51

O freio.....por cá o dito levou um corte quando foi operado aos ouvidos, como o "s" sai "ch" a prof. insiste que é do freio ainda não encaixou que já foi operado. Vamos ver se ultrapassa senão terapia da fala é hipótese,  andei a ver de exercícios de fonética para o S mas nada de jeito :(
Por acaso tento pensar como diz o teu marido mas é inevitável e chegando altura da consulta o coração fica pequenino.
Boa sorte!Bjs

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens