Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O país em sombras de cinzento

por t2para4, em 10.08.16

É o que eu vejo no céu, de manhã à noite... E quando acordamos, além do cinzento do céu, há uma nuance azulada e um sol que parece muito distante e pouco brilhante. E há cinza por todo o lado, mesmo sem incêndios na localidade.

Desde pequena que vejo que agosto é o mês por excelência para ter umas semanas para pôr tudo a arder. E ouvir várias vezes "é a política" como se isso resolvesse tudo... E ouvir falar de incendiários e da velha máxima "era atá-lo a um pinheiro"... E ouvir os helicópteros e avionetas e sirenes... Parece que passou a fazer parte do verão. E todos os verões, a partir de julho e até setembro, como se já fosse mesmo regra legislada, a minha mãe lançava a proibição de eu e a minha irmã passarmos sequer perto de um pinhal, nem sequer para apanhar pinhas.  

Recordo uma vez que regressávamos de Coimbra, há muitos anos, talvez uns 20 anos, e fomos parados pela GNR e Bombeiros porque dali já ninguém passava... E voltar para trás estava complicado porque as outras hipóteses estavam também a arder... 

Em 2005, Coimbra ardeu tanto mas tanto que pensei que ia passar meses a limpar cinza a 30 km de distância da cidade. Caíam folhas de eucalipto de 10 cm completamente chamuscadas na minha varanda. Todos - todos!! - os acessos estiveram cortados, por umas horas... Foi um ano muito quente, muito cinzento, um horror para estes lados... As primeiras chuvas trouxeram metade das encostas para a estrada e autênticos ribeiros negros por todo o lado. 

No ano passado, alguém deve ter pensado que 10 anos era mais do que tempo suficiente para recuperar área para re-arder e toma lá disto de novo. Não sei quantos dias com tudo a arder aqui à volta, estradas fechadas e cinza a cair como se fosse neve. 

De 10 em 10 anos, toda aquela área de árvores semi chamuscadas que vão escapando de um fogo para outro, árvores minúsculas ou raquíticas, eucaliptais, mato e fetos é tido como material inflamável porreiro para um triste espetáculo. Deve fazer espécie a alguém que não sabe ter as mãos quietas e a conta bancária sossegada.

 

 

E depois há perguntas que eu não consigo responder... Perguntam-me as piolhas porque os dias estão assim tão estranhos e por que há tantos incêndios. E por que é perigoso fazermos viagens (e eu nem quero imaginar o sufoco de ficar presa numa autoestrada, com mais de 40 graus e sem escapatória... Ficámos retidos uma vez em abril por causa de um acidente e o meu coração ia saindo esterno fora e fico sem ar de cada vez que vejo um carro a arder em plena estrada) e por que não vamos à piscina por causa da cinza que cai (ainda não percebem bem a relação da cinza a cair em locais onde não há incêndios diretos nem a questão dos ventos) e o que vai acontecer depois.

E eu não quero falar em lobbies nem em corrupção nem em contratações manhosas para ficar com lucros sobre área ardida nem na (ir)respondabilidade da limpeza de terrenos nem nos gastos do país com máquinas que não apagam fogos nem em forças que só atuam quando já não há muito mais para arder nem em jornalismo doente que abre noticiários com "este ano Portugal teve menos fogos" em maio nem em palmadinhas nas costas dos incendiários porque coitados são maluquinhos ou gostam de ver avionetas nem em sei lá mais quantas coisas que me passam pela cabeça... E eu nem quero sequer imaginar nem ter de explicar às piolhas o que é ter que passar por uma situação tão dantesca como a que se vive na Madeira, neste momento. Já tivemos focos de incêndios perto das casas dos nossos pais e sentimos uma impotência tão grande que não se descreve, parece que as bocas de incêndio e as mangueiras são demasiado pequenas para tanto fogo, tanto calor...

 

O mínimo que poderemos fazer para ajudar - para já -  é plantar árvores de espécies autóctones quando autorizadas para isso, ajudar os bombeiros, tentar de alguma forma auxiliar quem tudo perdeu, tentar proteger as nossas casas com áreas limpas (embora com ventos isso não sirva de muito), apostar na prevenção e esperar que a floresta recupere rápido e o próximo ano seja bem mais calmo... 

 

 

 

 

 

 

-------------- Estamos também no Facebook --------------------

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:33

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.



Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens