Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Carnaval das piolhas 2017

por t2para4, em 28.02.17

Não somos grandes celebradores do Carnaval e, até já o tinha dito aqui, há uns anos, só comecei a dar-lhe alguma importância quando as piolhas já eram toddlers e estavam na creche. E, à exceção dos seus primeiros dois anos em que, de facto, comprei roupinhas a preços de achado, daí em diante, fui sempre fazendo e conjugando coisas para lhes dar um ar festivo e carnavalesco na 6ª feira anterior à Terça-feira Gorda.

Então, recapitulando:

- em 2011, foram umas simpáticas joaninhas (as tais do fatinho que durou uns 2 ou 3 anos, até não caberem mesmo dentro dele)

- em 2012, foram Doras, as exploradoras (viva o improviso, já que foi uma altura particularmente complicada; também voltaram a ser joaninhas)

- em 2013, foram umas fadinhas rosa (nada de especial apenas um conjunto de asas, varinha de condão e antenas pindéricas  com roupa cor de rosa normalíssima, pois, foi - again - uma altura complicada)

- em 2014, foram trabalhadoras alusivas aos poneis (nem quero acreditar que foi o 1º ano delas na escola... Tema profissões antigas que, com algum engenho, lá consegui misturar com as profissões dos poneis de My Little Pony)

- em 2015 e 2016, foram de Equestria Girls (com a totalidade dos acessórios feita em casa mais alguma roupa normal a compor a coisa. Adoraram e seria mais um ano a repetir mas enough is enough)

 

Então, para este ano, 2017, após muito pensar e sem grande tempo para me dedicar a projetos DIY, as piolhas lá se decidiram pela Marinette que tem a Miraculous Ladybug por alter-ego. Para tal, foi fácil decidir o que fazer e onde arranjar o que faltava. Assim, em casa, no roupeiro das piolhas já tínhamos as leggings, as camisolas (polares que aqui faz frio), os casacos cintados (apesar de terem cores diferentes do da personagem), sapatilhas (está demasiado frio para sabrinas), as carteirinhas rosa a tira-colo.

Do que precisei:

- mascarilha, que comprei no Espaço Criança por 1,25€ e depois pintei com as cores e manchas da LadyBug

- perucas azuis (daquele tom de azul Marinette) que comprei numa loja chinesa, por 3 euros (e que, depois de fazer os puxinhos e atar com fita vermelha, cortei a jeito)

- fita vermelha já tinha, de outros trabalhos

- feltro e linha de atar chouriços, que também já tinha de outros trabalhos, para fazer uma Tikki (o amuleto vivo, por assim dizer, da Marinette e que a transforma em LadyBug)

 

IMG_4857.JPG

 

IMG_4874.JPG

 

IMG_4876.JPG

 (apesar de eu achar que elas ficaram um pouco estranhas - sinistras, vá, por causa dos olhos -, as piolhas disseram que estavam fofinhas)

 

E o resultado final, que já tinha partilhado no Facebook do blog, ficou bem melhor do que eu inicialmente imaginara. Tudo se arranja, com alguma imaginação e boa vontade. As piolhas ficaram felizes e eu também, por vâ-las felizes.

 

16995953_1186911488088100_2376466347021470496_n.jp

 

 

 

 

-------------- Estamos também no Facebook --------------------

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:22

Foram 2 carnavais e 1 aniversário com a mesma fatiota made at home e que fez as delícias das piolhas. Elas queriam muito ir vestidas de Equestria Girls e foi pensar nas que preferiam encarnar e as que menos trabalho dariam para fazer acessórios e afins.

Decidimo-nos pelas Twilight Sparkle e Fluttershy. Na net, pesquisei a imagem ideal e comecei a delinear o plano para chegar ao resultado final, tão parecido quanto possível.

Comeci, então, por aqui:

 

10968315_1552906994980340_942698288035127032_n.jpg

 

Tive que pensar que roupas tenho para combinar com o que vou fazer pois estamos no hemisfério norte e, aqui, o carnaval é frio, molhado e frio (sim, frio).

Tinha os collants ideais - que substituiam as botas das bonecas - e as camisolas quentinhas comprei numa loja chinesa (uma camisola de gola semi-polar branca e, no caso da Twilight, uma camisola azul por baixo e, por cima, uma blusa qualquer. No ano passado levou uma branca, esta ano levou uma maior azul). Também comprei o laço na loja chinesa bem como as perucas: uma lisa azul (não havia roxo, por isso, só troquei as cores e pintei com tinta acrílica a amadeixa rosa e roxa) e outra encaracolada rosa.

Na retrosaria comprei uma tira de tecido verde - aquele tom de verde - que ficou em cerca de 5 euros.

Os feltros, o gancho, as linhas, a fita, os elásticos, etc, já tinha em casa de outros projetos.

 

Contas feitas: cerca de 7 euros na loja chinesa + 5 euros na retrosaria.

 

Como preparei tudo

Antes de mais, fiz em cartolina, os moldes das asas, sempre em duplicado (esquerda e direita) com reforço interior para dar mais firmeza quando as asas estivessem postas. Fiz, igualmente, os moldes das orelhas e do chifre para depois coser às bandeletes e usar por cima das perucas.

 

Depois começou o corte. Das asas, do interior das asas, do reforço, das orelhas.

 

a.jpg

 

O passo seguinte foi coser tudo, com a ajuda da máquina de costura, e não esquecer de fazer o reforço para as asas, no local da união. E fazer umas asas amarelas e outras roxas. No final, com a tesoura, cortar e aparar o excesso de tecido de modo a que as asas fiquem iguais e com o mesmo tamanho.

 

b.jpg

 

c.jpg

 

No interior, ajustados às medidas dos braços das piolhas - que vão vestir roupa quente -, cosi os elásticos à mão.

 

d.jpg

 

Altura da primeira prova, sob o olhar do Silvestre a da mana. Perfeito! 

 

e.jpg

 

Asas prontas, o passo seguinte foi tratar das saias. Ora, como eu não sou lá grande coisa com franzidos e afins, pedi à minha mãe que fizesse a saia verde e subisse a bainha da saia roxa (que já servira no carnaval anterior). Depois, fiz e apliquei as cutie marks de cada Equestria, de acordo com as imagens e bonecas cá de casa, que fiz em feltro.

 

f.jpg

 

Quase tudo pronto, faltavam as orelhas e as perneiras e o gancho da Fluttershy. Cosi as orelhas à mão e uni-as a umas bandeletes que já cá tinha. As orelhas saem e posso sempre reutilizar as bandeletes.

 

g.jpg

 

Chegado o dia da folia, foi preparar as piolhas com as roupas e os acessórios e vê-las felizes.

 

h.jpg

 

Em 2015 foi assim.

E, em 2016, não foi nada diferente (a não ser uma nova camisa e sapatilhas - que os cm do crescimento não perdoam).

 

i.jpg 

 

Não tive tempo nem energia nem paciência para novas fantasias, de outras Equestrias. E eu que me imaginava de Pinkie Pie eheheheheh

Manteve-se a mesma alegria, a mesma felicidade. Não preciso pedir mais.

 

E por aí? Há mais alguém a meter-se em projetos DIY? Como corre?

 

 

 

 

---------------- Estamos também no Facebook --------------------

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:16

Calendário do Advento 2015 - o nosso

por t2para4, em 12.12.15

Não dávamos muita importância a atividades nos dias que precedem o Natal até, um dia, terem oferecido um Calendário do Advento com chocolatinhos, às piolhas. Escusado será dizer que aquilo desapareceu bem antes do dia 25… Por isso, e à medida que o desenvolvimento das piolhas foi permitindo, começámos nós a elaborar o nosso Calendário do Advento (e a deixar-me de chocolatinhos).

 

Este ano decidi-me por algo mais elaborado que me permitisse o reaproveitamento para anos seguintes e, em cerca de 2 horas, estava tudo pronto.

 

5.jpg

 

 

Precisei de:

- cola

- fita cola

- cartolina vermelha

- cartolina verde

- papel pardo (ou de embrulho)

- furador

- caneta corretora

- fio vermelho (ou outra cor à escolha)

 

 

Comecei por dobrar (a olho, sem nenhuma medida em especial) o papel pardo em forma de bolsinhas de modo a, numa cartolina em posição vertical, caberem 5 bolsinhas em 5 filas, perfazendo, assim, os 25 dias de atividades até ao dia de Natal (inclusive). Usei fita cola para rematar os cantos e cola para colar a bolsa na cartolina.

 

1.jpg

 

Depois de tudo colado, escrevi com caneta corretora – para ficar a branco e secar rápido – o título do trabalho e fiz uns arabescos nas pontas só porque sim. Em cada bolsa escrevi um número correspondente ao dia do mês.

 

2.jpg

 

As folhas de cartolina verde são para escrever as atividades a realizar em cada dia. Dividi as folhas em quadrados de 7 cm, recortei, escrevi a atividade.

 

3.jpg

 

Depois furei e passei um fio vermelho.

 

4.jpg

 

Cada quadradinho vai para dentro da bolsa para ser, depois, puxado pelo fio no dia da atividade.

Depois, para ficar à vista, prendemos com um clip.

 

6.jpg

 

 

As atividades foram pensadas de modo a serem simples, fáceis de executar e de agrado de todos. Além disso, como temos avaliações durante esse mês – é preciso estudar com as piolhas e é preciso preparar/corrigir/cotar testes e lançar notas (je moi même…) – tem mesmo que ser algo muito simples e rápido de se fazer. Não temos que, necessariamente, seguir uma ordem; o importante é assinalar algo para aquele dia que nos faça pensar um pouquinho na alegria do Natal, seja ele celebrado do modo que for.

 

Eis aguns exemplos das nossas atividades:

 - escolher receitas de Natal;

- ouvir a história do nascimento de Jesus;

- ouvir/cantar canções de Natal;

- fazer biscoitos de Natal;

- ver iluminação de rua;

- fazer uma festa do pijama na sala;

- fazer um picnic em volta da árvore da Natal;

- ver um presépio numa igreja local;

- fazer chocolate quente com marshmallows...

 

 

E, por aí, contem tudo: também há calendários do advento? Que tal essas atividades?

 

 

 

 

---------------- Estamos também no Facebook --------------------

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:41

Letras em tela com lápis de cor usados

por t2para4, em 31.08.15

Há tempos que andava para experimentar algo do género e surgiu agora a oportunidade. Queria oferecer algo personalizado a dois bebés lindos mas com um cunho pessoal das piolhas também. E, claro, queria fazer algo e não gastar muito dinheiro.

 

Assim, como lápis de cor usados é coisa que abunda nesta casa, fiz uma pesquisa na net sobre o que poderia fazer com eles e encontrei. Perfeito!

Do que precisámos:

- cola quente

- lápis de cor usados

- afiadeira

- lápis de carvão

- borracha

- caneta de acetato (agora chama-se marcador mas eu ainda sou do tempo em que se dizia caneta de acetato)

- fita

- botão colorido

 

As piolhas ajudaram-me a escolher os lápis mais minúsculos da caixa enquanto eu desenhei os contornos e palavras que queria que figurassem na tela.

 

1foto.jpg

 

Depois, com muito cuidado, apliquei cola quente e fui colando os lápis, sem olhar à ordem cromática, de modo a encaixá-los o máximo possível. Não ficou tudo direitinho, pois, mesmo afiando para ficarem num tamanho mais adequado é quase impossível colocá-los milimetricamente alinhados.

 

2foto.jpg

 

3foto.jpg

 

Acabada a parte da colagem, foi altura de contornar as palavras escolhidas com a tal caneta permanente. Escolhi preto para se destacar. Deixei secar um pouco e depois apaguei os vestígios do lápis de carvão.

No final ainda achei que faltava algo num dos cantos, estava demasiado simples mas não queria nada que enchesse muito. Decidi usar uma fita com corujas - toda a gente adora corujas, por estes dias - e rematar o laço com um botão colorido.

 

4foto.jpg

 

Depois de tudo seco, fios de cola retirados e esboços apagados, o resultado final agradou-me muito. Ficou colorido, tem reminiscências do percurso que pais e filhos percorrem juntos e está infantil q.b.

 

5foto.jpg

 

Acho que ficou muito querido, apesar de, obviamente, não estar perfeito nem profissional. Mas contou com a colaboração de duas meninas fantásticas  (que até nem ligam muito a fazer tarefas chatas como separar material escolar eheheheh) e com muito carinho.

 

 

 

---------------- Estamos também no Facebook -------------------- 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:07

As agendas CAA das piolhas

por t2para4, em 30.08.15

Aproxima-se o novo ano letivo - em passo de corrida, já numa espécie de sprint final - e, à semelhança do que acontece comigo, as piolhas tambem têm umas agendas. Para não baralhar muito o sistema, apesar de funcionarmos com 2 contagens de anos - o ano letivo e o ano civil -, optei por uma agenda do ano civil.

 

A agenda é em Comunicação Aumentativa e Alternativa, com recurso ao sistema de PECs (Picture Exchange Communication) e foi preparada pelo nosso terapeuta da fala, que assinalou, nos determinados dias, certas datas especiais ou feriados. Nos restantes espaços, as piolhas preenchem à vontade ou apenas consultam.

Recebi o ficheiro em powerpoint pelo que optei por imprimir em vários diapositivos por página, a cores, só frentes (assim, o verso poderia ser usado para anotações ou desenhos).

 

IMG_0113.JPG

 

De seguida, recortei tudo e encadernei em espiral.

 

IMG_0112.JPG

 

Juntei uma bonita capa em cartolina com relevos e pinturas brilhantes das piolhas, que cortei à medida, personalizei de modo cursivo, bem como uma contracapa em plástico.

 

IMG_0111.JPG

 

O resultado final não podia agradar-me mais: ficou funcional, giro e útil. Para o próximo ano, irei repetir embora talvez faça algumas alterações.

 

 

 

---------------- Estamos também no Facebook -------------------- 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:04

Casinhas de cartão - projeto escolar

por t2para4, em 28.04.15

2014-05-27_212036.jpg

2014-05-27_212131.jpg

 

O livro de Estudo do Meio sugeria a construção de casinhas a partir de caixas de cartão e uso de pinhas para o telhado mas, como sou um pouco subsirva, decidi que faríamos algo diferente.
Do que precisámos para fazer estas casinhas:


- caixas de sapatos
- etiquetas A4 ( para imprimir)
- folhas de cartolina coloridas
- brinquedos (banquinhos, árvores, plantas, etc.)
- feltro
- cartão
- material de pintura
- missangas
- cola quente


Como fizemos:
Medimos a caixa para calcular o tamanho que as janelas e portas deveriam ter, fiz as imagens no word e imprimi na tal folha autocolante A4. As piolhas pintaram a gosto e até fizeram cortinados! Depois de tiradas as medidas à caixa, escolhidas as cores do que deveriam ser as paredes, foi aplicar os autocolantes no sítio desejado e colar as cartolinas com cola quente.
O telhado foi feito com a aba de cartão de uma caixa e colada com cola quente e pintada com tintas de dedos.
Para o jardim, cortei um pouco de feltro, escolhemos uns brinquedos que andavam espalhados pelo quarto sem uso nenhum e inventámos (para disfarçar as pequenas falhas de cola e embelezar).
O resultado final agradou-nos tanto que, orgulhosas do seu trabalho, as piolhas quiseram levá-lo na mão, com muito cuidado, para deixarem na sala de aula.
E pensar que equacionei não fazer nada daquilo! Ainda bem que mudei de ideias!

 

2014-05-27_212230.jpg

2014-05-27_212314.jpg

2014-05-27_212354.jpg

2014-05-27_212427.jpg

 

 

---------------- Estamos também no Facebook --------------------

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:52

Calendário do Advento by t2para4

por t2para4, em 07.12.14

Pela 1ª vez, este ano decidi criar um calendário do advento. Achei que seria muito mais giro fazê-lo com as piolhas do que ir comendo chocolates todos os dias até ao Natal...

 

Assim, coisas de que precisei:

- cartolina

- tinta e pinceis

- cola e cola com brilhantes

- modelo de carta ao pai natal (by google)

- folhas vermelhas

- números retirados da net

- furador floco de neve

- tesoura

- elásticos e molas

- cabide

 

Como fizemos:

Desenhei o contorno de uma árvore de Natal, sem tronco, numa cartolina e as piolhas pintaram. Depois de seca, recortei e fui colando os círculos coloridos com os números colados. Para dar um toque natalício e invernal, colei um floco de neve por cima de cada círculo e decorei com cola brilhante de várias cores.

No final, foi só pendurar num cabide, com a ajuda de um elástico na porta da sala. Por baixo da árvore, estão as tarefas a executar para cada dia de dezembro até ao natal.

 

DSC_0321.JPG

 

DSC_0323.JPG

 

DSC_0331.JPG

Sinceramente, nunca pensei que as piolhas fossem dar importância a mais uma manualidade espalhada pela casa mas, a verdade é que, estão a adorar e todos os dias querems aber que tarefa há a fazer e se lhes toca especialmente a elas! Avisei-as que as atividades podem ser flexíveis e serem feitas noutras datas (como as ações de solidariedade, elas têm estado a contribuir numa coleta de materiais para entregar no Hospital Pediátrico de Coimbra) e que até podemos fazer mais do que uma por dia, consoante a vontade delas.

 

 

O melhor de tudo é terem sido elas a fazer a própria árvore para o calendário e estarem tão entusiasmadas. E, pouco a pouco, à nossa maneira estranha e muito pouco convencional, lá vamos redescobrindo a magia de Natal. E isso é muito bom.

Haverá prendas, claro. Mas comedidamente. 2014 foi um anao financeiramente complicado e com a minha situação profissional muito desajustada, optámos por sermos mais nós e continuarmos a dar lembranças de Natal, úteis e simbólicas. Crianças na 1ª prioridade, claro. As piolhas receberão o que pediram, algo que dividimos entre nós. Nós receberemos o que pedimos, ainda que não venha pelo Natal :) O melhor de tudo é que a maioria foi escolhida pelas piolhas e isso, para mim, é importante. Começam a ter a noção do que oferecer aos outros e de que as coisas custam dinheiro e podem ser  caras ou baratas ou que para comprar isto não se pode comprar aquilo. E se o Natal contribuiu para esse entendimento, para mim, já são ganhos e prendas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:08

Como fazer um bolo arco-íris

por t2para4, em 10.08.14

E aqui se segue uma série de posts sobre o aniversário das piolhas que já deveria ter saído há imenso tempo... Mas, agora também dá.

 

As piolhas quiseram, à semelhança do que fizemos no ano passado, seguir o tema "My Little Pony". E, claro, o bolo teria que ser algo neste âmbito. Mas, ao invés de oo comprar, decidi fzê-lo eu mesma. Juro que, na véspera da sua confeção até dormi mal e sonhei com bolos coloridos grande parte da noite.

Fiz algumas pesquisas no google e dispensei os vídeos. E decidi seguir o mais simples e evitar confusões, até porque eu teria que fazer 2 (sim, dois) bolos: um para o almoço do dia de aniversário e outro para levarem para o ATL, no dia seguinte.

 

Assim, muni-me do que precisava e não tinha: corantes, uma forma redonda média sem buraco, muita paciência. E decidi-me por um bolo de iogurte, absolutamente banal.

 

A receita que usei foi esta, em dobro, para que o bolo ficasse alto e pesado, uma  vez que, a minha ideia, era que ele tivesse no mínimo 6 cores.

 

4 iogurtes de coco (que podem ser naturais ou de outro sabor qualquer)

1 copo (o do iogurte) de óleo

5 copos de açucar

8 copos de farinha

1 cálice de licor beirão (convém ser algo incolor ou com pouca cor)

8 claras (as gemas alteram as cores dos corantes. Guardei-as para usar em mousse de chocolate caseira, by Yämmi)

 

Não usei fermento e optei por bater as claras em castelo. No fim de misturados todos os ingredientes, pesei a massa que rondava os 2,700 kg. Dividi este valor por 6 e separei essa porção em 6 tacinhas, com a ajuda de uma concha.

 

Untei a forma com óleo e a ajuda de um pincel e polvilhei de farinha mas, na vez seguinte, já só pincelava com óleo.

Depois de tudo a postos, foi a vez de começar a colorir. E eu tinha que ser comedida pois os corantes tinham que dar para os 2 bolos.

Vermelho - gotas (usei umas 10) do corante vermelho mas ficous empre rosa. Não fiz questão de inventar mais nada.

Laranja - 6 gotas de corante amarelo e 2 de corante vermelho.

Amarelo - 10 gotas de corante amarelo.

Azul - 8 a 10 gotas de corante azul.

Verde - 6 gotas de corante amarelo e 2 de corante azul.

Roxo - 6 gotas de corante vermelho e 2 de azul.

No caso de as cores não ficarem ao gosto esperado, é só uma questão de ir juntando mais gotas até apurar. Não esquecer de lavar as varinhas entre massas, senão ficam as cores todas misturadas.

 

Vai ao forno, uma massa de cada vez (porque só tenho 1 forno e 1 forma), tipo panqueca. Fui espetando com um palito a ver quando estavam prontos - uns 10 a 15 minutos chegam - e depois virava a forma para cima de um pouco de folha de alumínio para irem arrefecendo. Entre cada fornada, não esquecer de untar a forma senão o bolo parte ou agarra.

 

 

 Depois de frios, é só encamá-los seguindo a ordem das cores do arco-íris. O recheio pode ser o que quisermos. Eu optei por usar chantilly num e natas batidas (mas ainda um pouco líquidas) no outro.

 

 

Fui pondo no frio enquanto ia preparando as coisas porque o chantilly depois não fica com a espessura desejada. No final, e com o calor que estava, de porta do frigorífico aberta, acabei de enfeitar o bolo: cobri-o de chantilly, salpiquei-o de confetes de açúcar coloridos, espeitei umas velas todas giras em cima de bases de açúcar e coloquei os poneis que as piolhas escolheram e que foram feitos pela Dragões e Criaturas Inc.

 

 

E, contrariando o marido e a minha mãe que achavam que o bolo não ia ficar nada de jeito e que valia mais comprar um e blá blá blá mi mi mi, eu fiz uma dança da vitória depois de sopradas as velas e fatiado. Estava lindo, húmido, delicioso!

 

 

O bolo do ATL foi apenas regado com as natas, depois de todo espetado com um palito das espetadas, e não levou recheio. Ficou mais simples mas igualmente saboroso e não sobrou nada para contar a história!

 

 

De manhã foi só colocar as mesmas decorações, enfiar o bolo numa caixa e ir cantar os parabéns e comer!

 

Como se vê, apesar do trabalho (afinal, acabei por fazer e cozer 12 bolos, no total), fica bem mais barato e imaginativo criar algo em casa. As piolhas estavam todas orgulhosas do seu bolo Rainbow Dash, feito pela mãe. E eu toda feliz por vê-las tão felizes. E é isso que importa!

E, sem o esperar, acabei por ter muita sorte: os gatos dormiram toda a tarde e não andaram debaixo dos meus pés a empatar-me; as piolhas estiveram entretidas no quarto, onde parecia ter passado um furacão força 10.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:02

Contador

AmazingCounters.com


Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


Mais sobre mim

foto do autor







Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Visitas


Translate this page


Mensagens