Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Burnout não tem que ter um "aspeto"

por t2para4, em 10.05.21

Imaginemos um carro, bom de pintura e carroçaria, bem-estimado. Revisões e manutenções feitas a tempo e horas, inspeção bem cuidada. Mas… que anda sempre na red line. Não necessariamente à pressa ou em altas velocidades mas ali a esforçar caixa e motor. Decidiu-se começar a conduzir de outra forma pois o carro é nervoso, mesmo em mudanças baixas, parece que quer estar sempre a puxar e a picar, não gosta de estar parado, nota-se uma vibração algures. Descobriu-se que há ali qualquer coisa na centralina que uma reparação cuidada resolverá sem problemas – embora vá deixar marcas que não afetam o bom funcionamento ou segurança do carro.
No outro dia, a bomba de combustível parecia não estar a debitar o necessário para o motor e o carro mostrava dificuldades de desempenho, não puxava, podia dizer-se que estava cansado. Como não dava sinais de recuperar e com medo de ser algo grave, chamou-se o reboque. Na oficina, o mecânico achou que era do nervoso, não iria fazer nada, não ia dar aditivos, o carro era novo demais para ter estes problemas, que deveria verificar a bomba injetora e seguir viagem.
Em “consulta da especialidade”, mais tarde, verificou-se que, este carro hiperativo, é nervoso por natureza - o seu motor já foi programado de origem dessa forma e não há como desprogramar, nem ligando à centralina -, que precisa de fazer outro tipo de condução e deixar a red line sossegada, que vai, no entanto, fazer uma revisão de diagnóstico ao motor para descartar eventuais problemas, mas, de resto, está tudo bem. É um carro que, devido às suas características e condução, está à beira da exaustão e não deveria. Por isso, as recomendações vão mesmo nesse sentido: na impossibilidade de mudar as características de motor e centralina, é necessário alguns cuidados de manutenção e condução. Fazer quilómetros, de forma suave. Apenas isso. O carro continua bonito, a pintura continua boa, a carroçaria está impecável, não há sinais exteriores de que está cansado ou anda sempre a bater na red line. É um carro do caraças, é essa a realidade.


E toda esta metáfora relata a minha vida nos últimos tempos. Esse carro, sempre a bater na red line, sou mesmo eu. E agora preciso de descanso e não de críticas ou julgamentos. Continuo a gostar de pôr lápis, rímel e baton e de sair para apanhar sol e fazer quilómetros. Continuo eu. Apenas com respostas e orientações para sair do burnout. E fazer a tal condução suave.

 

 

-------------- Estamos também no Facebook e no Instagram ------------

publicado às 10:09

Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


Mais sobre mim

foto do autor







Parceiros


Visitas


Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Translate this page


Mensagens