Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Clássicos (verbais) da maternidade #3

por t2para4, em 25.06.18

Eu acho que este é O clássico e deveria ter sido logo o primeiro, mas pronto, está no top 3.

 

Perante a recusa sistemática da nossa cria /aluno/criança em relação a qualquer coisa, colocar o ar mais sério deste mundo, semicerrar os olhos (acho mais assustador do que abri-los e isso assuta-me pois lembra-me uma colega que tive há uns anos que tinha uns olhos enormes saídos das órbitras. Quando ela se enervava e abria ainda mais os olhos, até eu me escagaçava toda...), levantar a mão e dizer bem alto e com firmeza:

 

Eu vou contar até 3. Um.... Dois... 

 

 

O truque aqui é ser-se tão firme que não há hipótese de chegar ao 3. Além disso, como eles não sabem o que aontece ao chegar ao 3, a gente deixa-os na dúvida, não vá abrir-se um portal para outra dimensão... 

 

 

 

 

 

---------------- Estamos também no Facebook --------------------

publicado às 10:00

Clássicos (verbais) da maternidade #2

por t2para4, em 04.06.18

Ou "como me tornei na minha mãe sem me aperceber" #2

 

Dado o tempo meteorológico bipolar, incerto, instável, depressivo e sei-lá-mais-o-quê que temos tido, honestamente, não sei o que vestir às piolhas ou preparar para as aulas de Ed. Física. Na dúvida:

 

Leva o casaco que podes ter frio. Eu vou trabalhar e não posso ir levar-to à escola. (insistir, abrir os olhos, levantar o sobrolho e fechar bem os lábios. Ganhei) 

 

 

(Aparte: já não é a 1ª vez que, face ao "és chata" da parte do pai e insistências das piolhas em não levar casaco, que as mesmas, no primeiro intervalo da manhã, me telefonam "Mãe... estás a trabalhar? Podias vir trazer-me um casaco quentinho? Está frescote..." Ahhhh, mãe sabe.)

 

 

 

 

---------------- Estamos também no Facebook --------------------

publicado às 09:31

Clássicos (verbais) da maternidade #1

por t2para4, em 03.06.18

Ou "como me tornei na minha mãe sem me aperceber" #1

 

Inicio esta rúbrica com os dizeres e as expressões maternais que nunca pensei usar mas que herdei da minha mãe. E que, contra todas as minhas vontades e expectativas, me fazem ficar como ela.

 

Depois de estar de volta do aspirador, da esfregona, dos panos do pó, dos detergentes para a casa de banho, ainda ter ajudado uma piolha a fazer um bolo que quer levar para a terapia ocupacional, ter separado 664646468786 resmas de papel desenhado e esvaziado gavetas - se alguém me disser que isto não conta como exercício físico, eu escravizarei essa pessoa -, este é o clássico verbal da maternidade que me sai boca fora quando vejo as piolhas a ir à cozinha, na sua busca de algo para comer:

 

Não quero migalhas em lado nenhum, que acabei de aspirar. 

 

Ora toma.

 

 

 

 

 

---------------- Estamos também no Facebook --------------------

 

publicado às 15:25

Direitos Reservados

Algumas das fotos publicadas neste blog são retiradas da Internet, tendo assim os seus Direitos Reservados. Se o autor de alguma delas discordar da sua publicação, por favor informe que de imediato será retirada. Obrigada. Os artigos, notícias e eventos divulgados neste blog tem carácter meramente informativo. Não existe qualquer pretensão da parte deste blog de fornecer aconselhamento ou orientação médica, diagnóstico ou indicar tratamentos ou metodologias preferenciais.


Mais sobre mim

foto do autor







Parceiros


Visitas


Copyright

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência. Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das identificadas www.t2para4.com/t2para4. Do mesmo modo, este blog faz por respeitar os direitos de autor, mas em caso de violação dos mesmos agradeço ser notificada.

Translate this page


Mensagens